Racionalismo Cristão é expressão que nem todos podem compreender. É uma Doutrina bela, uma Doutrina pura, saudável, ensina as criaturas como devem viver, como podem se desvencilhar das trevas da ignorância e adquirirem mais luz para seus espíritos. Fernando Faria

O que é o Racionalismo Cristão? – Por Fernando Faria

1. O que é o Racionalismo Cristão?
1.1 O Racionalismo Cristão é uma doutrina essencialmente espiritualista e espiritualizadora.
Os trabalhos são dirigidos pelo Astral Superior e, como existe um Presidente Astral na direção espiritual de cada Casa Racionalista Cristã, torna-se evidente que as Práticas Racionalistas em nada se assemelham com a magia negra rotulada de espiritismo, que tem por base a invocação de espíritos para os mais variados fins.

1.2 O Racionalismo Cristão é praticado tão-somente nas Casas Racionalistas Cristãs, na Casa-Chefe, com sede na cidade do Rio de Janeiro, Rua Jorge Rudge, 119 e nas suas filiais e correspondentes dispersos pelo Brasil e estrangeiro.

1.3 O Racionalismo Cristão bate-se pela Verdade e deseja que todos se esclareçam sobre a finalidade da Vida e a maneira correta de conduzir-se numa existência terrena, para evitar sofrimentos desnecessários e perdas de encarnações.

1.4 O Racionalismo Cristão é Doutrina estruturada em Princípios bem definidos codificados no livro Racionalismo Cristão, ilustrados na obra A Vida Fora da Matéria e desenvolvidos em várias outras publicações editadas pela Casa-Chefe. Ele ensina a conhecer a Verdade, explana as realidades da vida através de concepções baseadas nas lições deixadas por Jesus na Terra, que sucessivas deturpações tornaram-nas irreconhecíveis.

1.5 O Racionalismo Cristão é Doutrina Espiritualista, cujos Princípios visam o esclarecimento humano, sem se preocupar com religiões, seitas ou credos, mas defende a Verdade dentro dos limites dos conhecimentos humanos, a fim de que todos se conheçam como partículas da Inteligência Universal, saibam de onde vieram, para onde irão e o que precisam fazer para lograr bom êxito nas suas tarefas e missões na Terra.
Limpeza Psíquica

1.6 A condenação eterna é uma balela. Portanto, todos terão oportunidade de chegar à Verdade explanada pelo Racionalismo Cristão, no decorrer de dias, meses, anos ou, se necessário, séculos.

1.7 Ao Racionalismo Cristão cabe uma grande e sublime Missão, ainda que bem árdua e por muitos não compreendida: restabelecer a Verdade e reimplementar os magníficos ensinamentos de Jesus na Terra.

1.8 O Racionalismo Cristão foi implantado na Terra pelo Astral Superior, e aí está a maior garantia da sua estabilidade perene.

Os que gostam de viver no mar das ilusões, no reino da fantasia ou no país dos sonhos, não encontram ambiente propício no Racionalismo Cristão, onde se ensina que todos têm de enfrentar a dura realidade da vida com coragem, renúncia e abnegação.

1.9 O Racionalismo Cristão — sem outra ideia, outro intuito, outro interesse que não seja o de fazer a humanidade despertar para a realidade da Vida — propõe-se a revelar à humanidade os esclarecimentos de que necessita para sair da obscuridade espiritual em que ainda se encontra, tão danosa, tão prejudicial à sua evolução.

1.10 Por não ser religião mas escola espiritualizadora, não possui esta Doutrina deuses nem adoradores e empenha-se em oferecer aos seres humanos um roteiro seguro para uma vida sadia e evolutiva.

1.11 O estudioso do Racionalismo Cristão aprende a confiar em si mesmo, na sua capacidade espiritual e no poder da vontade para lutar e vencer.

1.12 A faculdade de raciocinar é um atributo que todos possuem para ser usado. E todo ser humano, como parte integrante que é da Inteligência Universal, tem, em estado latente, os mesmos atributos dessa Inteligência, devendo fazer todo esforço para os desabrochar e desenvolver.

Entre esses atributos se encontra, precisamente, a faculdade de raciocinar. A prática do Racionalismo Cristão leva-o por esse caminho.

1.13 Os estudiosos do Racionalismo Cristão não são, por isso, adoradores, nem pedinchões, nem lamuriosos, nem farrapos mentais. Todos sabem que são grandes os obstáculos que surgem, a cada passo no caminho da vida, mas que os poderão vencer com os próprios recursos morais de que dispõem.

1.14 Nessa Doutrina se ensina que o espírito é uma minúscula fração da Inteligência Universal evoluindo. Nela também se demonstra ser o Universo constituído de Força (Espírito) e Matéria, enchendo a Força, que incita e movimenta todos os corpos, o espaço infinito.

1.15 Um dos grandes objetivos da Casa-Chefe é a expansão e difusão a Doutrina Racionalista Cristã, porém, sempre dentro de critérios cautelosos e racionais, a fim de se evitar a degenerescência para um sensacionalismo incompatível com os nossos Princípios.

1.16 É um engano pensar-se que todos os seres estão maduros para receberem a Doutrina Racionalista Cristã.

A maioria precisa despojar-se, primeiramente, de uma pesada carga de hábitos, crenças, limitações e temores correspondentes a estados crônicos de pensamentos errôneos que a impede, por enquanto, de tomar um caminho diverso daquele por onde vem palmilhando, há séculos os milênios.
Limpeza Psíquica

1.17 Por isso, não se deve discutir sobre crenças. O desabrochar é sempre de dentro para fora, dependendo do estado interior do indivíduo e da sua capacidade de aprender concepções espirituais.

1.18 Diz-se que Jesus recomendava que não se semeasse sobre os abrolhos. É o caso. Devemos ter percepção suficiente para não pretender propagar a Doutrina em meio hostil.
Limpeza Psíquica

1.19 As ocasiões de nós nos manifestarmos sobre o Racionalismo Cristão surge naturalmente e a oportunidade se apresenta sem ser provocada.

O caminho certo é indicar à uma Casa Racionalista Cristã nos casos de interesse despertado sem procurar o interrogado estender-se em explanações. A exposição da Doutrina deve ser sempre feita sob a ação do Astral Superior, o que se dá dentro das correntes fluídicas formadas nas Casas Racionalistas Cristãs.
Limpeza Psíquica

1.20 Portanto, absorvidos os ensinamentos do Racionalismo Cristão, não há necessidade de fazer-se qualquer comentário sobre o seu conteúdo com pessoas estranhas à Doutrina, para evitar discussões e choques entre pontos de vista divergentes.

1.21 As explanações doutrinárias são feitas, exclusivamente, nas Casas Racionalistas Cristãs.

Procurem-nas os que estiverem interessados nos ensinos nelas difundidos.

Poderão, também, ser dadas explicações por carta, quando solicitadas, ou pelo "fale conosco" no site da doutrina.

Não há quem não se possa pôr em contato com a Doutrina. As portas estão abertas e o serviço postal à disposição da coletividade.

1.22 No Racionalismo Cristão não há, não houve, e jamais haverá qualquer ato que exprima intento de aliciar ou de conquistar adesões.

O que existe, realmente, é a satisfação de receber, no seio comunitário da nossa Doutrina esclarecedora, todos os investigadores sinceros, a fim de se prepararem — libertarem-se do domínio fanatizante dos dogmas, rituais e mitos escravizadores — para contribuírem para a evolução do Planeta.

1.23 Contudo, a teoria de que devemos esperar que a humanidade chegue até nós ao invés de procurarmos chegar a ela era aceitável antigamente, porém, inaceitável perante o nível de desenvolvimento de nossa sociedade atual. Ver essa humanidade mergulhada no atoleiro da perturbação e degradação em que se encontra, e mantermo-nos numa atitude de passividade, sem nos preocuparmos em mostrar-lhe, através da difusão necessária, os benefícios que nossa filosofia espiritualista pode proporcionar, seria o mesmo que praticarmos um lamentável crime de omissão.

Limpeza Psíquica
1.24 Quando as Práticas Racionalistas Cristãs não puderem, numa caminhada da vida, transformar para melhor, na medida desejada as condições terrenas, essa transformação se dará, fatalmente, ainda nesta ou nas outras encarnações futuras. Não há razões para se perderem as esperanças. O período de uma encarnação é como uma gota d’água no oceano, em comparação com a vida eterna, a que todos estão sujeitos.

1.25 Há uma Escola Filosófica denominada “Racionalismo” que não deve ser confundida com o Racionalismo Cristão. Aquela é de fundo materialista, ao passo que este é eminentemente espiritualista. Estão, portanto, em posições diametralmente opostas. Por essa razão, diz-se sempre “Racionalismo Cristão” e não, simplesmente, “Racionalismo”, quando se faz referência à Doutrina Racionalista Cristã.
1.26 O Racionalismo Cristão não tem qualquer ramificação nem se assemelha às Religiões ou outras Doutrinas existentes na Terra; é uno e possui um só código e uma só disciplina. Em todas as Casas Racionalistas Cristãs o processamento dos trabalhos é idêntico, nelas imperando os mesmos inalteráveis Princípios.
Essa unidade é mantida com a mais escrupulosa observância, em rigoroso respeito às instituições e à direção do Astral Superior. Um Presidente físico de uma Casa Racionalista Cristã poderá presidir os trabalhos em qualquer outra filial, que não notará nenhuma discrepância no método e na disciplina adotados.

1.27 O Racionalismo Cristão, com os seus ensinos teóricos e práticos, oferece ao ser humano a melhor oportunidade de viver de maneira consciente e racional, realizando um seguro e eficiente programa de trabalho sem desperdícios, sem erros evitáveis, dentro do princípio de solidariedade e confraternização. É uma Doutrina esclarecedora, construtiva, moralista e purificadora, empenhada em restabelecer a Verdade nos conceitos espirituais da vida.

1.28 Ouvir as lições do Racionalismo Cristão e não colocá-las em prática é negligenciar uma tarefa do mais alto valor. Os que não lograram, nesta existência, a rara felicidade de aproximar-se da Doutrina, têm justificativa para não proceder como ela recomenda, mas, os que a conheceram e, indolentemente, permaneceram alimentando erros, incorrem numa falta de penosas consequências.

1.29 O Racionalismo Cristão é uma Doutrina espiritualista e explica, de forma simples e racional, quem somos, de onde viemos e para onde vamos.
1.30 O Racionalismo Cristão foi codificado por Luiz de Mattos, em 1912, com o lançamento da obra básica O Racionalismo Cristão, em 1914. Seus princípios, no entanto, são tão antigos quanto o mundo. Esses Princípios foram ensinados por Jesus, o Cristo, antes dos Evangelhos.
Dentre esses Princípios, destacam-se
•       A lei da evolução espiritual, através das encarnações;
•       A lei de causa e efeito: Não as faças que as pagas;
•       A importância do Pensamento, do Raciocínio, da Vontade e da Renúncia na vida dos seres humanos;
•       O valor da Disciplina, do Trabalho, da Moral, do Livre-Arbítrio e da Família;
•     Descartar do espírito a fé, as rezas, as crenças, o pedir e o louvar, bem como, o perdão, o milagre, a graça do evangelho bíblico e a salvação;
•   Ter a convicção de que, sob a denominação de Astral Superior, compreendem-se todos os espíritos de Planos Superiores, que superintendem a evolução deste Mundo, em comum acordo com Jesus, o Cristo. São Espíritos do Astral Superior que propiciam as Limpezas Psíquicas.
1.31 O Racionalismo Cristão, por tratar-se de uma filosofia espiritualista, isenta, portanto, de misticismo ou religiosidade, não admite o sobrenatural, mistérios nem dogmas. Tudo no Universo e na Vida tem explicação racional, dentro das leis comuns, naturais e imutáveis, que tudo regem.

1.32 A Doutrina Racionalista Cristã iniciou-se, primitivamente, com a denominação de “Espiritismo Racional e Científico Cristão”, valendo-se da mediunidade de pessoas bem intencionadas e da prática rudimentar do Espiritismo, para poder firmar as suas bases. À medida que foi evoluindo científica e espiritualmente, transcendeu-se do conceito Espírita para o Racional tomando, então, a designação própria de Racionalismo Cristão, que cuida única e exclusivamente do esclarecimento da humanidade e da sua evolução. Desta forma, ocupa-se em espiritualizar, educar, instruir, levantar as almas combalidas, fortificar os corpos enfraquecidos, combater os vícios e ensinar a criatura a ser justa, valorosa, honrada, simples e verdadeira.

1.33 Assim como no ser humano o espírito tem o seu corpo físico, esta Doutrina também tem o seu corpo físico, a sua sede material, que é representada pela Casa-Chefe do Rio de Janeiro, uma casa apropriada à divulgação dos seus ensinos. Em alguns livros históricos da filosofia praticada no Racionalismo Cristão, ainda se encontra a palavra “Redentor” que dá sentido de libertação, pois, na realidade, é a Verdade que faz os homens livres espiritualmente, e nas Casas Racionalistas Cristãs expõe-se a Verdade.
Não há que se confundir o Racionalismo Cristão com “centro espírita”, que é coisa diferente. É uma escola que promove a cultura espiritual, assim como, simplesmente, há Centros Culturais. Os que nele ingressam encontram ambiente acolhedor de paz e tranquilidade. Durante as Reuniões, trabalham os Espíritos dirigentes do Racionalismo Cristão em prol da evolução do Mundo. Assim procedem para normalização do estado psíquico das almas angustiadas, torturadas pelo sofrimento da vida, e para a higienização do ambiente terráqueo, no qual pululam milhares de milhões de espíritos perturbados.

1.34 A obra básica do Racionalismo Cristão, dentro de sua natural simplicidade, é bem profunda e deve ser vista como o alicerce basilar de conhecimentos cujo vigamento é forçoso ser erguido pelo esforço de cada um.
Nos seus princípios fundamentais estão consubstanciadas uma concepção nova do Universo e da vida e uma conduta sã para os seres que a queiram seguir. Tal conduta, mercê dos conhecimentos que propicia, impele a criatura para o conhecimento de si própria, como Força e Matéria, mostrando que em toda manifestação de vida há um bruxuleio de inteligência que, como em nós próprios, faz parte da vida total.

Limpeza Psíquica
Aprendemos, assim, a saber que somos pequenos fachos de luz, ainda muito embotados, de um imenso clarão que impulsiona o Cosmos — que é a Vida Inteligente Universal.

Força e Matéria são, no sentido doutrinário, a síntese do Universo!

Força é Vida, é Inteligência, é o princípio que tudo cria e anima. Só poderemos entender a Vida, no que ela possui de universal, de grandioso e profundo, conhecendo-nos a nós próprios, portanto, entendendo-nos como “inteligência”, e só é possível compreendermos o que somos como Matéria, devassando, com o auxílio da Física, esse microscópico sistema planetário que é o átomo. Com o seu estudo moderno, fragmentando-o em elétrons, mostrou-nos o homem de ciência que a matéria, outrora julgada inerte, é um grande reservatório de energias, as quais, no dia em que puderem ser utilizadas, mudarão o aspecto da face da Terra.

Força e Matéria
São esses pacientes trabalhos, desenvolvidos por pesquisadores do saber, que nos permitem afirmar que “da estrela mais distante, ao barro que pisamos, somos todos feitos do mesmo material”.

Essas duas palavras, Força e Matéria — que sintetizam o homem e o Universo —  representam, para as futuras gerações, um programa de estudos e realizações que continuará sempre, sem jamais parar.

1.35 O Racionalismo Cristão faz um apelo eloquente e constante ao estudo e ao raciocínio, no sentido de que todos compreendam a necessidade imperiosa de se entregarem a perseverante esforço, para se tornarem cada vez melhores.

O conhecimento da vida real, que é um processo contínuo de estudo, jamais será compreendido por aqueles que se limitam a repetir, sem raciocinar, conceitos ligados a dogmatismos religiosos ou concepções obsoletas.
Por tudo isso, a divulgação dos Princípios Racionalistas Cristãos é, nos tempos que correm, medida imperiosa e de grande alcance.

Luiz de Mattos lançou o Racionalismo Cristão depois de sentir bem o estado deplorável a que chegara o caráter humano, e fê-lo sem poupar esforços, certo de poder oferecer ao mundo o grande e único recurso para dirimir os graves males morais que estavam, e ainda estão, assolando.

A sua vida de homem honrado, digno, empreendedor, prudente, perseverante e destemido, foi um exemplo de ação vivificante que perdurará como incentivo de forte repercussão na consciência vigilante das gerações presentes e vindouras.

Ele não quis impor a ninguém uma disciplina que não pudesse executar, e não condensou uma norma de conduta que não fosse a sua; daí a principal razão de haver sempre falado com a autoridade que lhe era peculiar, definidora da convicção que possuem os que sabem que podem dar o exemplo.

Procedeu Luiz de Mattos com o especial cuidado de apresentar os princípios racionalistas cristãos de modo prático e simples, ao alcance de todas a mentalidades, e o resultado aí o temos, vendo-os compreendidos e acatados por todas as classes sociais.

E tão simples são eles, que em uma só palavra poderiam ser sintetizados: essa palavra é CONDUTA. De fato o seu desdobramento visa esse grande objetivo de dar à criatura uma norma de conduta. E quando dizemos “norma de conduta”, referimo-nos ao procedimento do indivíduo na coletividade, em obediência à filosofia cristã. Por isso mesmo, o Racionalismo se chama também Cristão.

O que constitui uma realidade incontestável é que Luiz de Mattos, com este código de disciplina Cristão, criou uma mentalidade nova, que dia a dia mais se expande, à medida que dele vão tomando conhecimento aqueles que, nesta encarnação, já conseguiram partir as algemas das crendices e das concepções místicas.

É, pois, sob uma norma de conduta bem definida, modelarmente conduzida, que o racionalista cristão há de impor-se na luta pela vida, à consideração e ao respeito de todos. Não são as palavras, mas os atos e as atitudes, que assinalam o valor dos princípios que a criatura adota.

A vida ordenada de cada pessoa é o reflexo do seu sentir espiritual, e de nenhuma forma pode a conduta humana aproximar-se mais da doutrina de Jesus, codificada por Luiz de Mattos, do que estabelecendo uma norma de viver calcada, rigorosamente, nos ensinamentos racionalistas cristãos.

O que é o Racionalismo Cristão?
Por Fernando Faria

Poderá gostar de conhecer:
 Atavismo